1.1

O CLERO NATIVO NA DIOCESE DE CABO VERDE (1533- 1755

Carlene Recheado
CHAM- UNL/ Universidade dos Açores
crecheado@gmail.com

A nossa proposta de comunicação propõe fazer uma apresentação do nosso projecto de tese de doutoramento em História da Expansão Portuguesa na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas na Universidade Nova de Lisboa, sob o tema “o clero nativo da diocese de Cabo Verde (1533- 1755)”. O estudo pretende traçar o perfil do clero natural da diocese de Cabo Verde, desde da sua criação em 1533 até a saída do bispo D. frei Pedro Jacinto Valente (1754- 1774) da catedral de Santiago, instalando-se na ilha de Santo Antão em 1755.
A nossa investigação visa estudar a crioulização do clero cabo-verdiano, a criação e implementação de um grupo clerical nativo e de origem africana. Estes “padres da terra” aparentavam ser a melhor via para a envangelização da região continental do bispado. Importa-nos estudar este grupo social, como parte integrante da sociedade cabo-verdiana, debruçaremos sobre a vida religiosa, o estudo da organização e funcionamento deste corpo clerical. Debruçaremos sobre questões relativas a educação e formação religiosa do clero, das tentativas para a implementação de uma instituição de ensino nas ilhas ou em Portugal vocacionada para a sua formação de religiosos oriundos do arquipélago e da Guiné.
O estudo deste grupo clerical ilhéu e africano proporciona a oportunidade, de analisar a sua formação desde da sua origem, acompanhando a sua evolução e consolidação. Possibilita-nos estudar e compreender os meandros da sua criação em articulação com a história do arquipélago cabo-verdiano, da presença portuguesa na costa ocidental africana e da própria história da Igreja. Este estudo pretende contribuir para a conhecimento da implementação do catolicismo na sociedade crioula cabo-verdiana. Propomos abordar este tema, explorando três campos de acção: campo social, educacional e religioso.

Palavras-chave: Cabo Verde, Guiné, clero, crioulização, expansão

Nota biográfica
Carlene Recheado,  Licenciada em História pela Universidade de Coimbra. Mestre  e doutoranda em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa pela FCSH da Universidade Nova de Lisboa. Investigadora do CHAM- UNL\ Universidade dos Açores. Bolseira do África Atlântica: da documentação ao conhecimento, sécs. XVII-XIX, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.