2.2

TEXTO JORNALÍSTICO E CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE – ARTIGOS “A MANDUCO” DE PEDRO CARDOSO

Alice Donat Trindade
Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas – Centro de Administração e Políticas Públicas
atrindade@iscsp.utl.pt

Os artigos escritos em Língua Portuguesa pelo professor, intelectual e jornalista cabo verdiano Pedro Cardoso (1883-1942) incluídos na secção “A Manduco” do jornal Voz de Cabo Verde, e dados à estampa entre 21 de Maio de 1911 e 17 de Agosto de 1914, constituem corpus valioso de análise, passível de ser abordado de forma diversificada em termos metodológicos e de área científica. Estes artigos estão coligidos em volume publicado pelo Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro de Cabo Verde em 2008, organizado por Manuel Brito Semedo.
Neste artigo, o enfoque metodológico será o de análise de conteúdo ao serviço de questões relacionadas com jornalismo e análise identitária cultural, cruzando questões temáticas e estilísticas refletidas nos textos jornalísticos em apreço com a construção de identidade Cabo-verdiana, arquitetada em torno de problemas sociais como seca, instrução e desflorestação expressas na língua colonial, a Língua Portuguesa, porém com afloramentos de Língua Cabo-verdiana. Serão estudados artigos que abordam as três temáticas referidas, procurando analisar a articulação entre tema e estilo jornalístico, e como estes se conjugam para atingir o objetivo de formação identitária anunciado pelo autor no manifesto inicial de criação da secção “A Manduco”. Será ainda realçado o impacto actual na cultura cabo-verdiana da obra do autor em apreço, demonstrado, por exemplo, pela atenção colocada na reedição da sua obra no século XXI. Os artigos de Pedro Cardoso podem ser analisados na sua disputa, de fato, da ‘naturalidade’ da construção identitária, como defendida por sociólogos clássicos, constituindo-se como evidência de processo e dinâmica de construção ativo.
Será esboçada a contextualização da obra deste autor no momento histórico cabo-verdiano coevo, inserindo-o numa plêiade de autores como José Lopes, Pedro Corsino de Azevedo e Eugénio Tavares, bem como a ligação ao Portugal da segunda década do século XX. A importância atual dos textos será ainda abordada, conduzindo a reflexões sobre a relevância da memória do registo jornalístico na sustentabilidade da formação, manutenção e evolução identitárias.

Palavras-chave Cabo Verde, identidade, jornalismo, língua portuguesa, Pedro Cardoso