6.3

NOVAS HORIZONTES NO ESTUDO DO IMPÉRIO: A MISSÃO DE GEOGRAFIA DE ORLANDO RIBEIRO NA GUINÉ EM 1947

Philip Havik
Instituo de Investigação Científica Tropical (IICT)
philip.havik@gmail.com 

A Missão de Geografia de Orlando Ribeiro à Guiné, que se inseriu nos trabalhos da Junta de Investigações Coloniais, foi pioneira no recentrar do estudo das colónias lusas no reconhecimento in loco através de trabalho de campo. 
Constitui ao mesmo tempo uma missão inovadora na quadro dos estudos geográficos em Portugal, por enfatizar a necessidade de um trabalho interdisciplinar, combinando aspectos das ciências naturais como a geologia e agronomia, com a geografia humana e antropologia cultural. Também inovou a ‘ciência do império’ por, de forma harmoniosa, integrar o ambiente natural com as comunidades que viviam nas terras africanas, não sem também facultar informação sobre a sua história e a sua inserção no contexto colonial. Por fim, traçou uma nova abordagem para o trabalho dos próprios investigadores, cuja liberdade de praticar a sua profissão nas colónias segundo as suas próprias ideias não era, de modo nenhum, consensual no contexto do ‘império’. 
Pelo facto de a sua primeira viagem coincidir com um período de reformas administrativas na Guiné sob a governação de Sarmento Rodrigues, o seu ‘timing’ foi benéfico por reforçar os laços entre investigadores no terreno (de entre os quais Teixeira da Mota) e o seu empenho na introdução de novas padrões de estudos científicos das colónias, designadamente na área de cartografia, demografia, história e etnografia.  Por outro lado, como esta primeira viagem coincidiu também com uma outra missão no terreno, a Missão Geológica, e uma segunda viagem (no mesmo ano) decorreu em simultâneo com a realização de um encontro de africanistas, os resultados preliminares dos seus trabalhos foram partilhados de imediato com a comunidade científica de então.
Apesar de nalgumas publicações ter apresentado dados recolhidos no terreno, são os cadernos de campo da Guiné do geografo, só agora reunidos num livro, que melhor espelham o trabalho inovador no qual o Orlando Ribeiro se empenhou pouco antes de se destacar como um cientista de renome internacional.

Palavras-chave: Missões científicas, geografia, trabalho de campo, interdisciplinar, inovação, Guiné 

Nota biográfica 
Philip J. Havik (Doutoramento Ciências Sociais, Universidade de Leiden, Holanda) é investigador do IICT e docente na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova.  A sua investigação trans-disciplinar foca a África sub-Saariana com destaque para a África Ocidental e a Guiné Bissau, e temáticas como a tributação, a saúde, o desenvolvimento, mudanças políticas e o empreendedorismo. As suas mais recentes publicações incluem, em colaboração com a Dra. Suzanne Daveau, Orlando Ribeiro. Cadernos de Campo: Guiné 1947 (Porto: CEAUP/Humus, 2011).