9.3

ANÁLISE DA DISTRIBUIÇÃO DA PRECIPITAÇÃO NO CONTEXTO DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS NA GUINÉ-BISSAU*

Fernando Lagos Costa
Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT)
flcosta1955@gmail.com
M. Carmo Nunes
Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT)
mcarmonunes15@gmail.com

A precipitação constitui um dos elementos mais relevantes para a definição das alterações climáticas principalmente em regiões tropicais, sendo o total anual da precipitação, uma variável particularmente sensível para a avaliação da variabilidade climática.
Neste estudo analisa-se a variabilidade temporal e espacial e as tendências decadais das precipitações na Guiné-Bissau, no período 1950-2009, usando métodos geoestatísticos e Sistemas de Informação Geográfica (SIG).
A variação climática das regiões sudano-sahelianas do Oeste africano, em especial as situações de seca, que se acentuaram a partir da década de 70, do século passado, tem sido alvo de múltiplos estudos, à escala continental e regional. Na Guiné-Bissau registaram-se anos e períodos secos, mais acentuados nas décadas de 80 e 90, pelo contrário, os anos 50 foram particularmente húmidos. Nas décadas de 70 e de2000 a09 os totais anuais de precipitação atingiram valores próximos da média relativa ao período 1950-2009. Nos anos mais secos a estação húmida é mais curta e os valores da precipitação mensal encontram-se abaixo da média, com uma variabilidade mais acentuada em Junho e Outubro.
Os anos mais secos, em toda a África ocidental, foram relacionados com uma progressão menos acentuada para norte da Frente Intertropical (FIT) e das chuvas de monção associadas, que se encontra na dependência das anomalias relativas da temperatura da superfície do mar.
Na Guiné-Bissau, na década mais seca de 80 verificou-se um aumento da variabilidade espacial das precipitações, tendência que se manteve igualmente na primeira década deste século. A região interior nordeste, mais seca, tem vindo a expandir-se para oeste e sudoeste o seu contraste com o litoral sul a acentuar-se.
Neste estudo foi, assim, possível definir algumas tendências espacio-temporais da variabilidade da precipitação, nomeadamente verificar um aumento das condições de seca, a nível decadal, na Guiné-Bissau, a partir da análise de uma série longa de dados anuais da precipitação, com recurso a métodos geoestatísticos e a cartografia em SIG.

Palavras-chave: variabilidade da precipitação, distribuição espacial das precipitações, alterações climáticas, geoestatística, Guiné-Bissau.

* Estudo integrado no Projeto FCT PTDC/SAU-ESA/71246/2006.

Nota biográfica
Fernando Lagos Costa
Investigador Auxiliar do Instituto de Investigação Científica Tropical, com uma dissertação sobre evolução geomorfológica quaternária e atual em Cabo Verde. Licenciado em Geografia e Mestre em Geografia Física e Regional, pela Universidade de Lisboa. Publicou 40 artigos em revistas e em atas de congressos nacionais e internacionais com arbitragem científica sobre dinâmica do relevo, riscos geomorfológicos em regiões vulcânicas e variabilidade climática e condicionantes naturais de risco epidemiológico em países africanos
Maria do Carmo Nunes, investigadora auxiliar do Instituto de Investigação Científica Tropical, tem vindo a desenvolver a sua actividade em projetos de investigação multidisciplinares, dando a sua colaboração nas áreas de Análise e Modelação Estatística, Sistemas de Informação Geográfica e Detecção Remota aplicados na caracterização de recursos naturais e ambiente de regiões tropicais. Publicou vários artigos científicos e capítulos de livro e participou em eventos científicos nacionais e internacionais.
Maria do Carmo Nunes, investigadora auxiliar do Instituto de Investigação Científica Tropical, tem vindo a desenvolver a sua actividade em projetos de investigação multidisciplinares, dando a sua colaboração nas áreas de Análise e Modelação Estatística, Sistemas de Informação Geográfica e Detecção Remota aplicados na caracterização de recursos naturais e ambiente de regiões tropicais. Publicou vários artigos científicos e capítulos de livro e participou em eventos científicos nacionais e internacionais.