13

KNOWLEDGE OF MEDICINAL PLANTS IN GUINEA-BISSAU: PRESERVING AND VALUING INDIGENOUS CULTURE

Maria Manuel Romeiras
Tropical Research Institute (IICT)
BioFIG, University of Lisbon, Faculty of Science
mromeiras@iict.pt

Philip Havik
Tropical Research Institute (IICT)
philip.havik@gmail.com
Maria Cristina Duarte
Tropical Research Institute (IICT)
mcduarte@iict.pt
Luís Catarino
Tropical Research Institute (IICT)
lmfcatarino@gmail.com

Guinea-Bissau is a West African country of great ethnobotanical interest due to its cultural and biological diversity. A large amount of native and naturalized vascular plants are used for medicinal purposes, and approximately 180 taxa have been estimated as putative medicinal species (96% dicotyledons and 4% monocotyledons). The plants belong to c.140 genera of about 55 families of dicotyledons and 6 families of monocotyledons.
Guinea-Bissau’s phytotherapeutic heritage was further developed and enriched by the knowledge brought by various ethnic groups that migrated to this region from other areas, including Senegal, Sudan, and the Sahara region. Despite its small surface area, the territory boasts a great ethnical diversity composed of approximately 30 groups, some of which are discussed here, each with its own culture, beliefs and ways of appropriating nature.
In view of the rapid social changes taking place in West Africa over the last few decades, and the likely dispersion and loss of the region’s specific phytotherapeutic heritage, the paper intends to provide an overview of medicinal plants still used by different communities in Guinea-Bissau in order to encourage further research on this issue to confirm the data presented here.

Keywords: West African country, medicinal plants, ethnic groups, Guinea-Bissau

Biographic note
Maria Manuel Romeiras
, Doutorada em Biologia (Biologia Molecular), pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Mestre em Protecção Integrada, pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa e Licenciada em Biologia ramo Científico pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Actualmente é investigadora no Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT) e é membro do Centro de Investigação BioFIG. A sua actividade científica tem sido desenvolvida na área da Biologia Molecular direccionada para o estudo da Biodiversidade e Botânica Tropical, tendo nesta área de trabalho artigos científicos e capítulos de livros publicados.
Philip J. Havik (Doutoramento Ciências Sociais, Universidade de Leiden, Holanda) é investigador do IICT e docente na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova.  A sua investigação trans-disciplinar foca a África sub-Saariana com destaque para a África Ocidental e a Guiné Bissau, e temáticas como a tributação, a saúde, o desenvolvimento, mudanças políticas e o empreendedorismo. As suas mais recentes publicações incluem, em colaboração com a Dra. Suzanne Daveau, Orlando Ribeiro. Cadernos de Campo: Guiné 1947 (Porto: CEAUP/Humus, 2011).
Maria Cristina Duarte, Doutorada em Engenharia Agronómica, pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa, e Licenciada em Biologia ramo Científico, pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Investigadora auxiliar no Instituto de Investigação Científica Tropical (IICT) é, atualmente, Diretora do Jardim Botânico Tropical e membro do Research Center in Biodiversity and Genetic Resources – CIBIO (Universidade do Porto). A sua atividade científica desenvolve-se especialmente nas áreas da Sistemática Vegetal, da Ecologia da Vegetação e dos estudos de Biodiversidade e Conservação em particular nas regiões tropicais, tendo publicado vários artigos científicos em revistas da especialidade, livros e capítulos de livros.
Luís Catarino, Doutor e Mestre pelo Instituto Superior de Agronomia, Licenciado em Biologia pela Faculdade de Ciências de Lisboa. É Investigador do Jardim Botânico Tropical do Instituto de Investigação Científica Tropical e membro do Centro de Investigação CIBIO.
A sua actividade científica tem sido desenvolvida na área da flora e vegetação da África Tropical. Tem trabalhado em Fitogeografia e Fitoecologia africanas, Alterações do coberto do solo, Cartografia da vegetação, Bases de dados taxonómicas e Etnobotânica, resultando na publicação de vários artigos científicos, capítulos de livros e livros. Tem liderado e participado na execução de diversos projetos de investigação.